sexta-feira, 15 de junho de 2012

Atualmente, com a globalização em que estamos inseridos desde a criação e popularização da internet, vivemos uma cultura cada vez mais espalhada pelo mundo e, de um modo geral, bastante rica em todas as diversidades, e compartilhada 'on line' por todo o planeta.




Há não muito mais do que 20 anos atrás certamente ninguém seria capaz de imaginar a possibilidade de uma foto tirada aqui, em uma praça, ou de crianças brincando na rua, ou um repentista recitando, seria vista do outro lado do mundo em questão de segundos! Os meios de comunicação contribuem muito, tanto com a propagação da nossa cultura, como com a absorção da cultura de outros países, tendendo assim a existir uma única e enorme cultura nessa aldeia global que cresce mais a cada dia.



Contudo, primeiro é necessário entender o que é cultura!

Apesar de existirem vários e diferentes conceitos, em linhas gerais, entendemos por cultura a reunião de costumes, valores, ritos, modo de pensar, de agir e de reagir de um determinado povo, de uma determinada sociedade. Porém, esta não é a primeira impressão, o primeiro pensamento que temos quando ouvimos falar de cultura.

No caso do nordeste brasileiro, entendemos geralmente como cultura os trabalhos artesanais (bonecos de barro), cantorias (repentes), textos rimados (cordel), frevo, maracatu, forró, etc... mas também temos aqui grandes escritores, poetas, cantores... produtores... e uma cultura negra e indígena seculares, que ainda não conhecemos profunda e totalmente!



A cultura de um povo, bem como a educação, estão incrivelmente associados ao sentido da vida da população em geral! A educação irá guiar a pessoa na direção daquilo que ela idealizou como sendo o rumo a caminhar para achar o ponto-chave para sua realização. A cultura irá contribuir para moldar, acomodar os valores e direcionar suas atitudes em prol da realização daquilo que tornar-se-á o objetivo da sua vida, seja salvar pessoas, para um médico; seja instruir pessoas, ensinando e, mais do que educando, formando cidadãos, como fazem os professores; ou seja qualquer outra atividade escolhida!



Adotar uma atividade nem sempre corresponde aos sonhos de infância, época em que ouvíamos dizer que para sonhar não nos custava nada! Infelizmente quando crescemos perdemos um pouco dessa imaginação, desses sonhos, e esquecemos de como usar nossa mente para criar imagens, coisas, fazer descobertas, ou simplesmente para resgatarmos a curiosidade de quando éramos infantes. Perdemos o que chamamos de memória imaginativa, a capacidade de lembrarmos de imagens criadas por nossa mente, por nossa imaginação... às vezes criando novas coisas, ou reinventando outras. É o despertar da criatividade!

A vida, por si só, já cuida de privar muitos de nós de desenvolvermos essa capacidade criativa, porém com investimento em cultura, educação, moral, politização e saúde, poderemos todos encontrar de novo tal aptidão, para que as vindouras civilizações possam herdar um mundo melhor, mais culto e mais organizado do que o que temos como realidade atual!


Flávio Augusto Albuquerque

Nenhum comentário:

Postar um comentário