domingo, 3 de julho de 2011

A vida dos outros...


Descargas de neurosubstancias, impulsionadas por algum fato vivenciado por mim ou alguém próximo a mim, que gerou uma série de informações que, acumuladas ao longo do tempo, "explodiu" na forma de imagens que se alternam entre conexas e desconexas, mas que a mesma mente que guardou estas informações as transformou em "história" e interpretou como um momento em que fora vivenciado por ela mesma no exato período em que nosso cérebro está mergulhado naquelas neurosubstancias do início do texto e que culmina em toda essa definição de: "Sonho" ou "Pesadelo".

Algumas pessoas, por outro lado, preferem interpretar o "mundo dos sonhos" de modo mais simples: avisos, sinais, comunicação entre este e o "outro mundo", ou simplesmente como objeto de estudo, como Freud assim o fez.

O fato é que... nesta madrugada eu tive um sonho que me tirou da inercia do meu sono e do descanso da mente, para me levar a uma sensação péssima, angustiante... um verdadeiro pesadelo!

Pois bem... neste tal pesadelo eu tinha a nítida sensação de estar vivendo repetidamente a vida de outras pessoas... como se eu fosse apenas uma "energia de consciência" e que pudesse ficar pulando de mente em mente... assim podendo viver pelo menos instantes dessas vidas... Foi uma sensação muito ruim, e eu ainda sinto a agonia no meu peito, me chamando de volta para a realidade, para a minha própria vida, para a minha consciência, para que eu acordasse e desse um final naquela odisseia agonizante!

Como já é hábito meu, ao acordar, pus-me a pensar no que minha cabeça me "forçou" a ver e "viver"... naqueles possíveis segundos em que ela utilizou-se daquelas imagens para talvez tentar se comunicar comigo...

Bom, o sonho era basicamente sobre "parasitismo de humano para humano"; quando uma pessoa passa a viver a vida de outra pessoa e, por algum motivo, deixa de viver a sua própria, "pulando" assim de vida em vida, de pessoa para pessoa, de mente para mente...

O que eu pude perceber e extrair deste sonho é que existe realmente esse tipo de pessoa, que força a sua existência a uma limitada e cíclica vida de "parasita de vidas"... vivendo os sonhos dos outros, as conquistas de outras pessoas, e nos momentos de dificuldade deste "hospedeiro", é feita a troca da vida para outra que ainda tenha energia, que ainda tenha realizações, que ainda tenha sonhos a conquistar... para dar reinício à vida parasitária!

Uma curiosidade do pesadelo é que ele ocorria em sua grande parte dentro de uma grande casa escura, com muitos espelhos (que refletiam o lado obscuro das pessoas)!

Ufa! Ainda bem que foi um sonho! Mas um sonho muito cansativo e que vale a pena refletir sobre...


Flávio Augusto Albuquerque

*PUBLICADO ORIGINALMENTE EM 03/07/2011 NO BLOG: http://flavioguto.blogspot.com*

Nenhum comentário:

Postar um comentário